Troca preventiva de Baterias Ganha Força no Mercado

Troca preventiva de Baterias Ganha Força no Mercado
Com o aumento dos componentes eletrônicos nos veículos, é recomendável a troca preventiva da bateria

Troca de óleo do motor, pastilhas de freio, pneus, velas... O olhar aguçado dos condutores sobre diversos componentes do carro e a troca preventiva deles é fundamental para manter o veículo em bom estado de funcionamento por muitos anos. A bateria automotiva - antes coadjuvante nessa lista - hoje é uma das peças primordiais, merecendo a mesma vigilância que se exerce sobre a troca de óleo, por exemplo.

Há cerca de duas décadas, a bateria era vista apenas como um item para a partida do carro ou o funcionamento das luzes baixa e alta, limpador de para-brisa ou pisca alerta. Em geral, os motoristas só notavam a existência do produto quando ele descarregava por completo, causando transtornos em diversas situações. Atire a primeira pedra quem nunca ficou na garagem de casa ou na rua por falta de bateria.
Hoje, trocá-la preventivamente já começa a fazer parte da cultura de muitos motoristas que pretendem evitar esse tipo de situação embaraçosa.

Carlos Alberto de Melo, que atua na área de desenvolvimento de produtos da Rondopar, fala sobre os desgastes da bateria: “Com o advento da eletrônica nos veículos, a tecnologia embarcada está cada vez maior, assim como a aplicação da bateria. Os veículos possuem diversos opcionais como ar-condicionado, controle de bordo, GPS, ajuste elétrico de bancos e equipamentos de comunicação, todos interligados. A função da bateria é prover energia para esse grande sistema, sendo tão importante quanto os demais componentes do carro. Já vi casos da bateria pifar e o motorista ter problemas no sistema de informação do carro, tendo que reprogramá-lo todo, um transtorno muito grande que não aconteceria se ela fosse trocada preventivamente”, explica Carlos. Além dos problemas acima, tem mais o fato de que nos veículos novos, maioria da frota, não é recomendável utilizar do famoso "pegar no tranco".

SINAL DE ALERTA
Quando a bateria começa a falhar no momento da partida do veículo, o motorista precisa agir com rapidez, pois a carga está no limite. O consumidor pode se antecipar a esse processo, visitando autoelétricas ou autocenters especializados. Por meio de equipamentos específicos, essas empresas fazem a leitura eletrônica do veículo, avaliando as condições da bateria. Outro sinal importante que possa indicar uma troca preventivamente é o período de garantia.

Caso tenha passado muito tempo de seu vencimento, é bom fazer uma revisão na bateria: “Essa estratégia é viável, se o produto adquirido atende, de fato, as demandas de energia do veículo. Quem realiza a venda precisa orientar o motorista neste processo de troca preventiva”, conclui o especialista. 


Voltar para blog...